ROTEIRO PARA A CATEQUESE DE PRIMEIRA EUCARISTIA NA PARÓQUIA SÃO BENEDITO



CATEQUESE
PARA PRIMEIRA EUCARISTIA



APRESENTAÇÃO

São Paulo, em sua Carta aos Tessalonicenses, no capítulo 5, versículos 16 a20, nos exorta “a alegrar-se sempre, dando graças a Deus em todas as circunstâncias e examinando tudo e ficar com o que é bom”.

Pois bem, tendo examinado a história da Catequese desta nossa Paróquia de São Benedito de Salto/SP, constato a riqueza de conteúdo e dinâmica na sua caminhada com o envolvimento de toda família com os catequistas e ministros ordenados.

Assim sendo, apresento este precioso manual, fruto de muitos anos de desafios e conquistas na catequese Paroquial. Uma grande ferramenta para catequistas e catequizandos. Façam bom uso deste trabalho em benefício da nova evangelização, sintonizado com o projeto catequético diocesano.


Salto, 05 de agosto de 2009

Padre Edélcio Francisco Ferreira Netto - Pároco

ROTEIRO

1º ENCONTRO – Discípulos de Emaús

Lc 24, 13-35

"Naquele mesmo dia ..." Assim começa o episódio narrado por São Lucas em seu Evangelho (Lc 24, 13-35) em que ele apresenta a triste situação de dois seguidores de Jesus que se encontram agora decepcionados com os acontecimentos dos últimos dias. Sua tristeza é latente; o próprio Jesus a pôde perceber em suas palavras e no seu semblante. Mas, aproximemo-nos também nós destes dois caminhantes e façamo-lhes a mesma pergunta que Jesus lhes fez: "Sobre o que falais pelo caminho e por que estais tristes?”.
Ao lhes fazermos esta pergunta perceberemos muito mais que uma simples resposta, mas toda a densidade de uma expectativa frustrada; uma nova vida vislumbrada e desejada que, de repente esvaiu-se sem deixar esperanças ... "este é já o terceiro dia que todas estas coisas aconteceram ..."
Mas quais são "estas coisas" das quais eles falam e que lhes causam tanta tristeza? Estes dois homens conheceram Jesus talvez a um, dois ou três anos e foram se deixando apaixonar por seus ensinamentos. Suas palavras, suas pregações os seduziram; seus milagres os convenceram: "Quem é este homem a quem até os ventos obedecem?" Jesus era maravilhoso. Por Ele deixamos tudo para segui-lo. O mestre havia ensinado: "Quem quiser me seguir, renuncie a si mesmo ..." Quantas renúncias tiveram que fazer. Colocaram, por assim dizer, toda a sua esperança naquele homem.
Mas, eis que, de repente aquele que curava enfermos, que ressuscitou mortos, que multiplicou pães, jazia pregado numa cruz. Terminara como um maldito, ferido e castigado por Deus. Quanta desilusão! Que tristeza na alma! O que faremos agora? Nada resta, senão voltarmos a nossa vida de antes. Vamos retornar a Emaús e recomeçar a nossa vida; voltemos aquilo que fazíamos antes ...
O trajeto Jerusalém – Emaús, para além de um caminho físico, representa um itinerário espiritual, um via interior por onde passam todos aqueles que têm qualquer desilusão com o Mestre (ou com a sua Igreja, ou com um membro da Igreja). Quantos conhecemos que depois de alguma desilusão com a Igreja foram embora? Voltaram para "Emaús" ... Será que eu e você já não percorremos este caminho? Será que o companheiro de Cléofas (cujo nome não é citado) não sou eu ou você?
Eles "decepcionaram-se" com o Mestre ... mas o oposto não se deu. Jesus os ama; deu todo o seu sangue por eles e não quer que simplesmente eles vão embora. Ele se põe a caminhar com eles. Jesus sempre está ao nosso lado, mesmo nos momentos de desilusão, de dor, de sofrimento. Ele deseja fazer-se notar. Se não sentimos sua presença, na mais das vezes, é porque estarmos totalmente debruçados sobre a nossa ótica dos acontecimentos, que, por natureza, é limitada. Isso nos cega de tal modo que se torna impossível perceber a presença do Mestre. Mas Ele está presente! Mesmo que não o sintamos, Ele está presente. Sempre é assim. Isso constitui um princípio eterno: "Eis que estarei convosco todos os dias ..."

E se nos deixamos curar pelo Senhor, se somos dóceis para acolher sua presença e sua palavra, aos poucos as escamas que estão em nossos olhos vão caindo e tudo começa a tomar sentido. A Palavra do Senhor é apaixonante. Só os corações apaixonados por Ele se deixam tocar pela eficácia de suas palavras. Este "arder" do coração é mais, muito mais do que sentimentalismo. A Palavra do Senhor é viva e ela infunde vida e amor nos corações daqueles que se entregam. É preciso deter-se diante dele. Querer escutá-lo; "forçá-lo" a ficar: "Fica conosco, Senhor ..."
E eis que ao final de um longo itinerário, "eles o reconheceram ao partir do pão". Os que crêem na Palavra do Senhor, sabem muito bem que estas palavras não são circunstanciais. Jesus repetiu aqui o mesmo gesto da Quinta-feira Santa. Em outras palavras, Ele celebrou a Eucaristia com eles e para eles. Mais do que lembrarem-se deste gesto de Jesus (provavelmente não estavam na última ceia), eles reconheceram Jesus no pão: "Isto é o meu corpo ..."

EXERCÍCIOS
1-) Responda:
a) Por que você quer se preparar para receber o sacramento da 1ª Eucaristia?
.................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
b) Os discípulos estavam tristes andando pelo caminho. O que havia acontecido para se sentirem assim?
..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
c) Eles reconheceram Jesus ao partir do pão e não queriam mais sair de perto do Mestre! E você, está disposto a caminhar com Jesus? Acredita que Ele pode te ajudar? De que maneira?
...........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

2) Complete:
Meu nome é ................................................................................................................................
Tenho .....................anos.
Meu catequista é ........................................................................................................................
Hoje, dia .......... de ........................ de 20....... iniciei a catequese de Preparação da Primeira Eucaristia, na Paróquia de ..............................





2º ENCONTRO - O SINAL DA CRUZ
O Sinal da Cruz é realizado desenhando-se no ar uma cruz, sobre si mesmo, sobre outras pessoas ou sobre objetos. Existem duas formas principais de se traçar o Sinal da Cruz: o sinal pode ou não ser acompanhado por uma fórmula verbal. O Sinal da Cruz é um dos símbolos mais importantes da religião cristã, relembrando a importância do sacrifício de Cristo na Cruz.
O gesto - Inicialmente, por volta do século II, o sinal da cruz era traçado apenas com o polegar sobre a fronte da pessoa. No momento da Crisma ainda hoje o bispo traça o mesmo sinal sobre o candidato. Na missa os fiéis traçam este sinal na testa, como antigamente, mas também a seguir sobre os lábios e sobre o peito, durante a Proclamação do Evangelho. Por volta do século IV começaram a ser registradas variações nos locais e amplitude dos movimentos, até que o sinal se tornou largo como é hoje.
A Mão - No Ocidente é usada a mão direita aberta, e os cinco dedos abertos representam as cinco chagas de Jesus. Nas igrejas do Oriente a mão é parcialmente fechada, e os dedos polegar, indicador e médio tocam-se nas pontas, simbolizando a Santíssima Trindade, enquanto que os dois dedos restantes, pressionados contra a palma, simbolizam a dupla natureza de Jesus Cristo.
O Movimento - O sinal da cruz é feito tocando-se em seqüência a testa, o peito e ambos os ombros, acompanhando o movimento com a fórmula verbal Em nome do Pai (toca-se a testa), e do Filho (toca-se o peito), e do Espírito (toca-se um ombro) Santo (toca-se o outro ombro). Amém (pode-se voltar a tocar o peito ou a boca, e o Amém pode ser substituído por uma outra jaculatória, conforme a tradição de cada Igreja). A testa simboliza o céu e a sabedoria, o peito simboliza o infinito amor de Jesus Deus, e os ombros significam o poder de Deus e uma oração ao Espírito Santo. As Igrejas Ortodoxas traçam o sinal nos ombros da direita para a esquerda, enquanto que as Igrejas Ocidentais o fazem da esquerda para a direita.
O QUE A IGREJA NOS ENSINA?

Quando fizeres o sinal da Cruz, faze-o bem feito. Não tão depressa e contraído que ninguém o saiba interpretar. Uma verdadeira cruz, pausada, ampla, da fronte ao peito, do ombro esquerdo ao direito. Não sentes como te abraça por inteiro? Procura recolher-te; concentra nela teus pensamentos e teu coração enquanto a vais traçando da fronte ao peito e aos ombros e verás que te envolve o corpo e a alma, se apossa de ti, te consagra e santifica. E por quê? Porque é sinal de totalidade e sinal de redenção. Na cruz o Senhor redimiu a todos e pela cruz santifica o ser humano até sua última fibra. Por isso a fazemos ao começar a oração, para que ordene e componha nosso interior, encaminhando a Deus pensamentos, afetos, desejos e, ao terminá-la, para que ele nos fortaleça; nos perigos, para que nos defenda; na bênção, para que, penetrando a plenitude de vida divina em nossa alma, fecunde quanto nela exista.


ORAÇÃO

PELO SINAL DA SANTA CRUZ, LIVRAI-NOS DEUS, NOSSO SENHOR, DOS NOSSOS INIMIGOS. EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO ÁMEM!


EXERCÍCIOS

1) Faça agora o Sinal da Cruz bem caprichado, pronunciando a oração e pensando no sentido de cada palavra e de cada gesto!!

2) Desenhe em seu caderno uma cruz como aquela que Jesus foi cruxificado e escreva em cada ponta as palavras pronunciadas quando a fazemos em nosso corpo.



3º ENCONTRO – A ORAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO

Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da Terra.
Oremos: Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

Pentecostes, união dos cristãos
A festa de Pentecostes celebra a vinda do Espírito Santo sobre os discípulos, reunidos em Jerusalém, 50 dias após a Páscoa. Estavam presentes os Apóstolos, a Mãe de Jesus, e um bom número de outros, conforme o livro dos Atos. A manifestação extraordinária do Espírito Santo era esperada, mesmo porque sua ordinária presença é uma realidade para aqueles que crêem. Na ressurreição, o Senhor já o comunicara: Recebei o Espírito Santo; àqueles a quem perdoardes os pecados serão perdoados, àqueles a quem não perdoardes serão retidos. (Jo20,19-23)

O Espírito Santo é força de unificação como expressa Paulo aos Coríntios: Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo. Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito. (ICor.12,3). Após Pentecostes, os Apóstolos saem anunciando Jesus Cristo como Filho de Deus feito homem que fora assassinado pelo poder constituído, ressuscitara, estava vivo e não podia mais morrer. A informação bíblica diz que a pregação era tão convincente que cada um, mesmo estrangeiro, os entedia em sua própria língua.

É a linguagem unificadora do amor autêntico, aquele que vem de Deus. Com o Pentecostes, nasce propriamente a Igreja fundada por Cristo. O Senhor já havia previsto isto aos discípulos, quando, ressuscitado, sentou-se com eles à mesa mais uma vez e disse: recebereis o Espírito Santo, que descerá sobre vós e sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judéia e na Samaria e até as extremidades da terra. (At.1,8)

Hoje, após dois mil anos, contudo, os cristãos experimentam desunião, organizados em várias igrejas e seitas. A realidade provoca preocupação a todos. Porém, há um consolo.

Atualmente, os esforços em busca da unidade perdida são cada vez maiores, o diálogo entre os grupos abertos à compreensão é um fato. A semana que precede a festa de Pentecostes é celebrada com orações pela unificação dos cristãos, liturgias são realizadas em igrejas de diferentes tradições por católicos e não católicos.

A força do Espírito também garante aos cristãos que as adversidades provocadas pela iniqüidade não serão capazes de ameaçar a Igreja e muito menos a pessoa de Cristo, Filho de Deus, vencedor da morte. Ele já havia dito ao chefe dos Apóstolos: Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

Um dos títulos do Espírito Santo é iluminador das mentes, luz dos corações. Seja ele, neste Pentecostes, a claridade para todos, a fim que unidos propaguemos o bem e seja o mal vencido para sempre.
EXERCÍCIOS
1) Responda:
a) O que significa PENTECOSTES?
.................................................................................................................................................
b) Quantos dias após a Páscoa celebramos essa festa?
.................................................................................................................................................
c) Quando se dá o nascimento da Igreja? Por que?
..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................


4º ENCONTRO - Corpus Christi

Corpus Christi significa “Corpo de Cristo”. Nessa festa se comemora a presença de Jesus Cristo na Eucaristia. Em cada Santa Missa, os sinais do pão e do vinho se tornam misteriosamente o Corpo e o Sangue de Cristo.
A festa de Corpus Christi é celebrada na quinta-feira depois da Festa da Santíssima Trindade, que acontece no Domingo depois de Pentecostes.
Uma das tradições da festa é a procissão. Os fiéis enfeitam as ruas com tapetes artesanais por onde as procissões vão passar.
Os tapetes são feitos com materiais como: palha, flores, pó, serragem colorida, sementes, tampinhas de refrigerantes encapadas com papéis coloridos entre outras coisas.

Agora que você já conheceu um pouco sobre o que é Corpus Christi, vamos colorir um desenho que representa essa data tão especial...






5º ENCONTRO – Pai nosso (1ª parte)
A oração, ou simplesmente "falar com Deus", é um dom da graça de "Deus que vem ao encontro do homem" e permite o estabelecimento de uma "relação pessoal e viva dos filhos de Deus com o Pai infinitamente bom, com o seu Filho Jesus Cristo e com o Espírito Santo que habita no coração daqueles". Na oração, o crente eleva "a alma a Deus" para O louvar ou pede "a Deus bens conformes à sua vontade". Mas, é preciso salientar que a oração não tem a função de alterar a vontade de Deus, mas somente de obter para si mesmo e/ou para os outros graças, bens ou bênçãos que Deus já estaria disposto a conceder, mas que deveriam ser pedidos primeiro pelo crente.
O PAI NOSSO
O Pai Nosso é uma da mais frequentes orações cristãs. De acordo com o Evangelho segundo Mateus (cap 6, versículos 7-15) e Evangelho segundo Lucas (cap 11, versículos 1-4), esta seria uma oração ensinada por Jesus Cristo a seus discípulos, para que eles tivessem um modelo de como orar corretamente a Deus.
No Sermão da Montanha, Jesus ensinou o Pai Nosso aos seus discípulos, que estavam ansiosos em saber como rezar bem. O Pai-Nosso é uma "oração cristã insubstituível", "a «síntese de todo o Evangelho» (Tertuliano) e «a oração perfeitíssima» (São Tomás de Aquino)". "A tradição litúrgica da Igreja usou sempre o texto de São Mateus (6, 9-13)":
Pai Nosso que estais nos Céus,
santificado seja o vosso Nome,
venha a nós o vosso Reino,
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no Céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje,
perdoai-nos as nossas ofensas
assim como nós perdoamos
a quem nos tem ofendido,
e não nos deixeis cair em tentação,
mas livrai-nos do Mal. Ámem!
Estas "sete petições a Deus Pai" são divididas em duas partes:
• "as primeiras três, aproximam-nos d’Ele, para a sua glória: pois é próprio do amor pensar antes de mais n’Aquele que amamos. Elas sugerem o que em especial devemos pedir-Lhe: a santificação do seu Nome, a vinda do seu Reino, a realização da sua Vontade".
EXERCÍCIOS

1-) Por que chamamos Deus de Pai na oração do Pai-nosso?
........................................................................................................................................................................................................................................................................................
2-) Na sua opinião, como é o Reino de Deus? O que você e sua família estão fazendo para viver o Reino de Deus aqui na Terra?
........................................................................................................................................................................................................................................................................................
3-) Nessa oração pedimos que a vontade de Deus seja realizada. Você tem feito a vontade do Pai? Por que?
........................................................................................................................................................................................................................................................................................
6º ENCONTRO – Pai nosso (2ª parte)
O Pai-Nosso é também "a oração da Igreja por excelência visto que as suas sete petições, fundadas no mistério da salvação já realizada, serão plenamente atendidas na vinda do Senhor. O Pai Nosso é também parte integrante da Liturgia das Horas".
As últimas quatro petições apresentam ao Pai de misericórdia as nossas misérias e as nossas expectativas. Pedimos que nos alimente, nos perdoe, nos defenda nas tentações e nos livre do Maligno".
Para além destas petições, o Pai-Nosso também revela à humanidade a sua relação especial e filial com Deus Pai. A partir de então, "podemos invocar a Deus como «Pai» porque Ele nos foi revelado por seu Filho feito homem e porque o seu Espírito no-Lo faz conhecer. Ao rezar a oração do Senhor estamos conscientes" e absolutamente confiantes de sermos filhos de Deus e de sermos "amados e atendidos" por Deus Pai. "Sempre que rezamos ao Pai, adoramo-Lo e glorificamo-Lo com o Filho e o Espírito", porque estas três Pessoas divinas formam a Santíssima Trindade.
Nesta oração única e profunda em significado, os fiéis invocam também Deus como "«Pai Nosso» porque a Igreja de Cristo é a comunhão duma multidão de irmãos que têm «um só coração, uma só alma» (At 4,32)" e um só Deus. Jesus, nesta oração, afirma que Deus está nos céus porque Ele, o infinitamente santo, não está apenas num lugar físico próprio, mas sim "no coração dos justos", daqueles que fazem a Sua vontade. Esta afirmação também faz lembrar aos crentes que "o céu, ou a Casa do Pai, constitui a verdadeira pátria para a qual tendemos na esperança, enquanto estamos ainda na terra. Nós vivemos já nela «escondidos com Cristo em Deus» (Col 3, 3)
EXERCÍCIOS
1-) Escreva nas linhas abaixo, alguns pedidos em forma de oração, que você queira fazer a Deus no dia de hoje ( por você, por sua família, pelos doentes, por seus amigos, pela nossa igreja, pelos catequistas, etc).
...............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
2-) Compromisso:
“A PARTIR DE HOJE COMEÇAREI A REZAR A ORAÇÃO DO PAI-NOSSO TODOS OS DIAS DA MINHA VIDA E CONVIDAREI MINHA FAMÍLIA A REZAR COMIGO, SENTINDO ASSIM A PRESENÇA DE DEUS MAIS FORTE NO MEU DIA A DIA!”





7º ENCONTRO - São Pedro e São Paulo Apóstolos

Hoje, a Igreja do mundo inteiro celebra a santidade de vida de São Pedro e São Paulo. Estes santos são considerados "os cabeças dos apóstolos", por terem sido os principais líderes da Igreja Cristã Primitiva, tanto por sua fé e pregação, como pelo ardor e zelo missionários.
São eles, os dois pilares da Igreja de Cristo, que regaram com o próprio sangue a Palavra anunciada, a qual a Igreja tem também a missão de guardar. São Paulo foi, sem dúvida, o grande propagador do Evangelho dentre as nações escolhidas para a vivência do Reino de Deus. Contudo, este fecundo apostolado só foi possível devido à sua fidelidade à sua missão.

Pedro, que tinha como primeiro nome Simão, era natural de Betsaida, irmão do Apóstolo André. Pescador, foi chamado pelo próprio Jesus e, deixando tudo, seguiu ao Mestre, estando presente nos momentos mais importantes da vida do Senhor, que lhe deu o nome de Pedro. Em princípio, fraco na fé, chegou a negar Jesus durante o processo que culminaria em Sua morte por crucifixão. O próprio Senhor o confirmou na fé após Sua ressurreição (da qual o apóstolo foi testemunha), tornando-o intrépido pregador do Evangelho através da descida do Espírito Santo de Deus, no Dia de Pentecostes, o que o tornou líder da primeira comunidade. Pregou no dia de Pentecostes e selou seu apostolado com o próprio sangue, pois foi martirizado em uma das perseguições aos cristãos, sendo crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, por não se julgar digno de morrer como Seu Senhor, Jesus Cristo.
Escreveu duas Epístolas e, provavelmente, foi a fonte de informações para que São Marcos escrevesse seu Evangelho.

Paulo, que tinha como nome antes da conversão, Saulo, era natural de Tarso. Recebeu educação esmerada "aos pés de Gamaliel", um dos grandes Mestres da Lei da época. Tornou-se fariseu zeloso, a ponto de perseguir e aprisionar os cristãos, sendo responsável pela morte de muitos deles. Converteu-se à fé cristã no caminho de Damasco, quando o próprio Senhor Ressuscitado lhe apareceu e o chamou para o apostolado. Recebeu o Batismo do Espírito Santo e preparou-se para o ministério. Tornou-se um grande missionário e doutrinador, fundando muitas comunidades. De perseguidor passou a perseguido, sofreu muito pela fé e foi coroado com o martírio, sofrendo morte por decapitação. Escreveu treze Epístolas e ficou conhecido como o "Apóstolo dos gentios".

Papa Bento XVI
Bento XVI, nascido Joseph Ratzinger, o Cardeal alemão, foi eleito Papa no dia 19 de abril de 2005 até os dias atuais, aos 78 anos e três dias. Sucedeu ao Papa João Paulo II, no conclave de 2005, onde soavam os sinos da Basílica, aclamado por milhares de pessoas que se reuniam à espera da decisão, na Praça de São Pedro, o coração do Vaticano.

Exercícios

1-) Responda:

a) Quem são os 2 pilares da Igreja de Jesus Cristo? Por que? ..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................


b) Qual é o nome do nosso atual Papa? ........................................................................................








8º ENCONTRO – A Missa parte por parte

Mc 14, 12-16

Eucaristia quer dizer agradecer, agradecimento, dar graças. É na missa que celebramos com os nossos irmãos o que temos de mais precioso: a vida, com as suas alegrias e tristezas. Como bons cristãos devemos participar da missa todos os finais de semana e dias santos de guarda. Devemos estar também sempre preparados para participamos da Ceia de Jesus. Eucaristia é comunhão, participação e partilha. Participarmos da ceia significa também nos doarmos fora da igreja, com todos os nossos irmãos. Agradecer implica comprometer.
A missa é dividida em duas partes: liturgia da palavra e liturgia eucarística.
Para celebrarmos uma missa, ela precisa ser muito bem preparada e, para isso, envolve-se um local, muitas pessoas e muitos objetos. É necessário o presidente da celebração, os que preparam o ambiente e a liturgia, os salmistas e os celebrantes.
Altar: representa a mesa da ceia do senhor. Jesus fez refeição com seus apóstolos e se doou. Em forma de pão e vinho mostrou que é alimento para todos.
Hóstia: grande para ser vista por todos da comunidade. Pequenas ou partículas são aquelas que são consagradas para a comunhão dos fiéis. Após consagradas serão o corpo de Jesus.
A Bíblia: Jesus presente através da sua palavra que nos transforma.
Dentre tantos objetos importantes da missa está o cálice. Nele se deposita o vinho, portanto, depois da consagração, será o sangue do Senhor.
O ano litúrgico começa quatro domingos antes do Natal, com o Advento (preparação para a vinda de Jesus). O ano litúrgico é dividido e diferenciado por cores:
Branca: usada em festas e solenidades;
Vermelha: Domingo de Ramos, Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor, Mártires e Pentecostes;
Roxa: tempo do advento e quaresma;
Verde: tempo comum.
Dourada: Em festas e solenidades substituindo a cor branca, em especial no Natal e Páscoa.

EXERCÍCIOS

1) Complete:

a) Eucaristia quer dizer.......................................
b) A ceia de Jesus celebrada hoje pelos cristãos é a ..................................................
c) Devemos participar da missa todos os .....................................................

2) Coloque certo (C) ou errado (E):

a) A missa é dividida em cinco partes. ( )
b) A missa é dividida em duas partes. ( )
c) A missa é composta de duas partes: Consagração e Comunhão. ( )
d) A missa é composta de duas partes: Liturgia da Palavra e Liturgia Eucarística.( )

3) Responda:

a) Qual é a cor litúrgica deste mês?
.................................................................................................................................................
b) Como se chama este tempo litúrgico? Por que?
....................................................................................................................................................................................................................................................................................................







9º ENCONTRO: Jesus me chama pelo nome

Mc 1, 16-20

Deus chama cada um pelo nome. No Batismo recebemos um nome: o nosso nome de cristão. Nossos pais escolheram com carinho o nome que nos deram. Por isso é que gostarmos de ser chamados pelo nosso nome.
Deus já nos amava mesmo antes de nosso nascimento. São Paulo escreve em uma carta que, Deus nos amou antes da criação do mundo (Ef 1,4). Deus ama todos sem distinção de pessoas, classe social ou raça. Para Deus, somos todos iguais.
Há uma outra passagem bíblica, no Livro de Jeremias, que nos fala: antes mesmo de te formar no ventre materno, eu te conheci; antes que saísses do seio, eu te consagrei. Isso vem nos mostrar que Deus nos conhece e nos ama. Nos amando Ele nos consagra para sermos seus colaboradores num mundo de amor. Os apóstolos, fizeram uma experiência de Jesus. Eles viram Jesus com os olhos, o tocaram, ouviram sua voz, o brilho de seu olhar, o seu sorriso, suas lágrimas, comeram e beberam com Ele. Caminharam, descansaram e trabalharam juntos com Jesus. Durante o tempo de catequese somos convidados a fazermos também esta experiência de Jesus.
Deus quer a nossa felicidade, por isso nos chamou também para este tempo de catequese. Muito aprenderemos, na igualdade e na fraternidade.

EXERCÍCIOS

Complete:
1) No meu Batismo recebi o nome de .................................
2) Hoje é dia ......... de .......................................de 20.........
3) Você quer se preparar para receber Jesus na Eucaristia? Por que? .............................................................................................................................................................................................................................................................
4) O que você sabe sobre Deus? Quem ensinou para você? ..............................................................................................................................................................................................................................................................
5) Você conversa sobre Deus em casa, com seus pais ou familiares? Quando? .............................................................................................................................................................................................................................................................
6) Deus o (a) chama para ser seu filho(a) e quer lhe ensinar a Sua sabedoria. Você quer mesmo participar desta Vida Nova que Ele te oferece? Por que? ............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
7) Escreva uma breve oração, pedindo ajuda a Deus durante este tempo de catequese. ............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................














10º ENCONTRO – A vocação para o Sacerdócio e para o Diaconato

Jesus criou um Sacramento para fazer de um homem um sacerdote. É Deus quem dá essa vocação, é o Espírito Santo quem faz a pessoa descobrir, e é Jesus o modelo para ser sacerdote.
O Sacramento se chama ORDEM, porque a pessoa recebe um mandato, uma determinação para fazer algo em nome de Jesus. O nome que se dá ao sacerdote é PRESBÍTERO, que quer dizer “ANCIÃO”, não no sentido que a gente conhece de pessoa idosa, mas no sentido “daquele que sabe mais, é mais sábio”. Também é chamado de PADRE, que quer dizer “PAI”.
Quando a criança sente no coração o desejo de ser padre, deve se conversar com seus pais e ser encaminhado ao padre da Paróquia onde reside. Quando adolescente e jovem, também deve seguir as recomendações acima e, se é esse mesmo o desejo, passará por encontros vocacionais. Após esses encontros é encaminhado para o Seminário para os estudos necessários para ser padre. Para ser ordenado padre, é necessário ter completado 25 anos de idade.
A vocação para ser Diácono surge de várias maneiras, mas, principalmente, na juventude e na idade adulta. Há Diáconos transitórios, que são os preparados para o sacerdócio. Há Diáconos Permanentes, que são homens casados, que descobrem a vocação para também servir a Igreja, além do casamento. Normalmente são convidados pelo Pároco, ou indicados pela comunidade.
Para ser Diácono, é necessário também estudar numa Escola Diaconal, cujo curso demora, em média, três anos e meio. Para ser ordenado, é necessário ter completado 35 anos de idade. Ele não pode celebrar missa, mas pode presidir a Celebração da Palavra com Comunhão, Batizado, Casamento. Pode também abençoar pessoas, casas, carros, imagens, objetos, além de celebrar exéquias, que é a encomendação de falecidos.
O dia do Padre é comemorado no dia 04 de agosto, dia de São João Maria Vianney, um padre francês que foi um grande exemplo de sacerdote.
O dia do Diácono é comemorado no dia 10 de agosto, dia de São Lourenço, que foi um Diácono muito caridoso e que ajudava os pobres. Um dia o Imperador quis que ele entregasse os tesouros da Igreja. Como ele falou que não tinha dinheiro, nem jóias, mas tinha somente os pobres, o imperador mandou mata-lo. Ele foi colocado numa grade com fogo embaixo e queimado vivo.


EXERCÍCIOS


1- Quem celebra a Missa? O Padre ou o Diácono? ...............................................................................................................................

2- Diácono pode dar a benção para as pessoas? ...............................................................................................................................


Você consegue distinguir entre o Padre e o Diácono na Celebração? Como? .............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................









11º ENCONTRO – A família de Nazaré e a nossa família.

Mt 1, 18 – 25

Maria está grávida e ainda não morava com José. Na época de Maria, esse fato era punido com a morte por apedrejamento: Maria aceitou o projeto de Deus, não temeu, acreditou em Deus.
Percebendo a situação de Maria, José tem dúvidas. Ele é justo, temente a Deus e preserva os costumes da época. Através de seu anjo, Deus dá a conhecer a sua vontade a José, e ele ouve a Palavra de Deus e cumpre a vontade de Deus.
A família de Nazaré era uma família comum que vivia os mesmos problemas e dificuldades de qualquer outra família da época.

Como temos vivido em nossa família?
Que acontecimentos bons temos tido?
Por quais dificuldades temos passado?
Como temos vencido as dificuldades?

“E Jesus crescia em sabedoria, em estatura e em graça diante de Deus e dos homens” (Lc 2, 52). Como nossa família te crescido “em sabedoria, em estatura e em graça de Deus e dos Homens”?

Como tem sido nosso relacionamento com Deus?
- Temos participado das missas dominicais?
- Temos rezado juntos, em família, ou em particular?

Como é o relacionamento?
- Entre nós mesmos?
- Com nossos parentes?
- Com nossos vizinhos e amigos?
- Quais as dificuldades de nossa família que precisamos superar juntos?

Vamos ler o Salmo 127 (126), que é um cântico de procissão, cantado pelas famílias quando partiam em peregrinação para Jerusalém: ele fala sobre as bençãos que Deus concede às famílias que temem o Senhor.

















12º ENCONTRO – Assunção de Maria – A Reza do Terço.

MARIA E A REZA DO TERÇO

POR QUE NOSSA SENHORA DO DESTERRO

A Reza do Terço, ou ainda, a Reza do Rosário, é tradição da Igreja Católica. É uma forma de homenagear a Mãe de Jesus e de aprender mais sobre a Bíblia. É uma devoção muito antiga, que foi aperfeiçoada com o tempo. Dizem que São Francisco já rezava e ensinava o Rosário. Naquele tempo, somente os bispos e padres, os frades e as freiras é que podiam ler a Bíblia. Por isso, era ensinada ao povo a reza do Rosário, que contém passagens da Bíblia e, por conter 150 Ave-Marias, lembra o número de Salmos da Bíblia
É assim: para rezar o Terço (uma das três partes do Rosário), reza-se um Pai Nosso, dez Ave-Marias e um Glória ao Pai. Cada vez, reza-se um Mistério. Vocês receberão uma folha contendo todos os mistérios e como se deve rezar o Terço e o Rosário. Cada dia da semana corresponde a um Terço ou Mistérios. O Papa João Paulo II criou mais uma sequência, chamada de “Mistérios Luminosos”, que falam sobre a vida adulta e o ministério de Jesus. Pode ser rezado às quintas-feiras ou sábados.
Várias vezes Nossa Senhora apareceu e recomendou a Reza do Rosário e do Terço. Na maioria das vezes apareceu à crianças ou jovens. Em Fátima, cidade de Portugal, ela apareceu a três pequenos pastores de carneiros e ovelhas, ensinando a rezar o Rosário e pedindo que as crianças ensinassem o povo. Ali ela foi chamada de Nossa Senhora de Fátima, cuja festa se comemora no dia 13 de maio.
Maria, ou Nossa Senhora como é conhecida, tem muitos títulos, mas é uma só. Em Salto, ela é chamada de Nossa Senhora do Monte Serrat, como Padroeira da cidade. A Padroeira da Diocese de Jundiaí é chamada de Nossa Senhora do Desterro.
A festa é celebrada no dia 15 de agosto. É chamada de Nossa Senhora do Desterro porque, quando um rei muito mau, chamado Herodes, tentou matar Jesus e acabou matando muitas crianças de menos de dois anos de idade, Jesus foi levado por José e Maria para um país chamado Egito, para proteger o menino Jesus. Essa viagem se chamou “desterro”, isto é “fuga para um lugar estranho, um esconderijo por causa de uma perseguição”.


EXERCÍCIOS

1) Você sabe rezar o terço? Seus pais rezam o terço, o Rosário em família ou na Igreja?
......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

2) Qual o nome da Padroeira da Diocese de Jundiaí?
....................................................................................................................................................................................................................................................................................................

3) Por que Nossa Senhora e São José fugiram?
........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................









13º ENCONTRO – A Vocação para a Vida religiosa – Dia dos Religiosos

DEUS nos dá pelo Batismo a oportunidade de seguirmos uma vocação específica. Entre essas vocações, o fiel aceita o convite de Deus e diz “sim” à uma missão, um serviço para a Igreja, para os irmãos e irmãs.

Há pessoas que são vocacionadas para a Vida Consagrada. Essas pessoas, homens e mulheres são chamados de “religiosos/religiosas”, que nós conhecemos com várias denominações: frade, frei, irmão leigo, madre, freira, irmã.

Há congregações religiosas masculinas e femininas diversas entre si: uns usam hábitos, que são roupas compridas como túnicas, véus para as mulheres, cordões em torno da cintura; outros e outras usam roupas comuns, por que trabalham no meio do povo. Há conventuais, que nunca saem do convento; há congregação que usam casas, escolas, hospitais para desenvolverem seus trabalhos.

Em geral, os religiosos e as religiosas são missionários, mas há muitos que se dedicam à educação, à saúde, aos moradores de ruas, aos indígenas etc. Há ainda comunidades de homens ou de mulheres de vida consagrada que formam as chamadas “Novas comunidades”.

A vida consagrada é um estado de vida reconhecido pela Igreja. É uma resposta livre a um chamado particular de Cristo, com o qual os consagrados se dedicam totalmente a Deus e tendem a uma perfeição da caridade sob a moção do Espírito Santo. Essa consagração se caracteriza pela prática dos conselhos evangélicos.

EXERCÍCIOS:

1) Você conhece algum religioso (frei) ou religiosa (freira)? Cite o nome............................................

2) Há em sua cidade uma Congregação religiosa ou casa de religiosos? Cite onde.....................................................................................................

3) Qual o nome (Colégio, Casa)....................................................................












14º ENCONTRO – A Vocação dos Leigos – Dia do Leigo


A palavra “leigo” significa membro do povo de Deus. Como Cristo é a cabeça da Igreja, o corpo é formado pelos leigos e ordenados. Na nossa Igreja há muito ministérios e todo cristão batizado e crismado recebe do Espírito Santo a vocação que deve ser colocada a serviço da Igreja e do povo de Deus.

Mesmo o Papa e todo o clero, eram leigos que foram chamados por Deus, foram ordenados ao clero, para manter a unidade da Igreja, educando, evangelizando e animando a fé dos leigos para que o Reino de Deus seja anunciado a todos os povos.

O Concílio Vaticano II, encontro de Bispos do mundo todo, realizado de 1963 a 1965 no Vaticano, resgatou de maneira iluminada o papel do leigo na igreja. A vocação, o serviço do leigo na igreja tem um limite: nós leigos não podemos presidir missa, nem ouvir confissão, nem administrar os sacramentos, pois tudo isso pertence ao clero.

O leigo também deve fazer tudo em comunhão e obediência a hierarquia da igreja.



Exercícios

1- Responda:

a) Quais os serviços, que podem ser desenvolvidos por leigos, durante as missas ou celebrações?
..........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

b) Pesquise em sua Paróquia, quais as Pastorais que existem e que cite o nome de pessoas que você conhece que atuam nela.
................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................














15º ENCONTRO – A Vocação do Catequista – Dia do Catequista

Catequese quer dizer “fazer ecoar”. Jesus Cristo é o centro da Catequese. A catequese constitui uma das ações mais importantes da Igreja.

Por ela os batizados recebem o conhecimento da fé e aprofundam cada vez mais no amor de Cristo, estabelecendo com Ele um verdadeiro encontro pessoal.
Catequese é um processo permanente, portanto nunca deve terminar. Sempre temos algo de novo para aprender.

Há sempre um momento ou um lugar que é e será necessário falarmos o que aprendemos a respeito de Deus e assim partilhar com os irmãos.

É importante que a nossa vida seja um eterno testemunho de vida cristã. Em todo tempo e em todo lugar, certamente, será importante demonstrarmos que fomos catequizados.
Sabe como daremos essa demonstração? Através das nossas ações. Com certeza poderemos mudar o mundo. É preciso anunciar, evangelizar.

Ser catequista é chamado, é vocação, é missão, é ser enviado pela Igreja. É aprender com Jesus a rezar, é estar em comunhão com a Igreja, é deixar-se formar pela Igreja para que em seu nome possamos transmitir as verdades da nossa fé aos nossos catequizandos.



Exercícios

1- Este ano a sua participação na Catequese trouxe algo de novo para sua vida? O quê?
.....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

2- Qual é o nome de seu (s) catequista (s)?
....................................................................................................................................................................................................................................................................................................

3- Você gostaria de se colocar a serviço da Igreja através de alguma pastoral? Sente esse chamado de Jesus na sua vida?
......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................



**** A Igreja precisa de você! Saiba que podemos orienta-lo. Comunique-se conosco! Com certeza você também ganhará muito com essa boa ação!!!















16º ENCONTRO – A Sagrada Escritura – Conhecendo a Bíblia


2 Tm 3, 14 – 17

Bíblia, palavra de origem grega que significa biblioteca. A Bíblia é um conjunto de 73 livros divididos em duas grandes partes: Antigo Testamento e Novo Testamento.
O Antigo Testamento contém 46 livros e fala da Antiga Aliança feita entre Deus e o povo de Israel. O Novo Testamento contém 27 livros e nos fala da Nova e Eterna Aliança, feita por Deus, através da vinda de Jesus Cristo.
A Bíblia divide-se em livros e cada livro tem o seu nome próprio. Os livros estão divididos em capítulos (números grandes). Os capítulos estão divididos em versículos (números pequenos).
Os autores da Bíblia são vários e ela foi escrita durante muitos séculos.
Primeiramente os fatos foram passados de pais para filhos e depois escritos.
Os primeiros cinco livros do Antigo Testamento formam o Pentateuco, que são: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.
Os quatro primeiros livros do Novo Testamento são os Evangelhos e narram a vida de Jesus. Os evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas são denominados de sinóticos por serem parecidos. O evangelho de João foi escrito de uma maneira diferente.
Deus nos deu dois presentes: a vida e a Bíblia. A Bíblia é como um mapa rodoviário que nos serve para orientar, ensinar, corrigir, educar e convencer.



Exercícios

1- Complete:

A Bíblia é um conjunto de ........... livros variados nos quais Deus nos quer passar a sua mensagem. Ela se divide em ......... grandes partes:
* ........................................... conta a história do povo judeu antes da vinda de Jesus e possui ........... livros;
* ........................................... conta o que aconteceu depois da vinda de Jesus e possui ..........livros.

2- Pesquise na Bíblia e escreva os nomes de:

a) 3 Livros do Antigo Testamento: ....................................................................................................................
b) 3 Livros do Novo Testamento: ....................................................................................................................

3- Vamos ver se você já sabe procurara a palavra de Deus no Novo Testamento. Pesquise e escreva:
a) Mt 5, 9 ( Evangelho de Mateus, capítulo 5, versículo 9) ............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
b) Jo 10, 11 ( Evangelho de João, capítulo 10, versículo 11)
......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................






17º ENCONTRO – Jesus ensina a orar

Mt 7, 7 – 10

Rezar é colocar-se reverentemente nas mãos de Deus, ouvindo o que Ele tem para nos dizer, os caminhos que Ele quer nos apontar, corrigindo rumos, consertando estradas, reconstruindo pontes.
Ouvir a voz de Deus é colocar-se em atitude de oração.
Quem ouve a voz de Deus adquire a Paz. A Paz que supera todo o entendimento, guardando nossos corações e nossas mentes no amor e no conhecimento do amor de Deus e de seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo!
A arte da oração consiste em que o orante se comunica com Deus, com os outros e consigo mesmo e assim faz grandes descobertas, encontra soluções, recebe iluminações e muita força interior.
É preciso rezar com fé. Acreditar no poder da oração. Rezar é estar com Deus e com os outros. Normalmente a oração verdadeira e profunda leva à compaixão, ao perdão, à solidariedade. O amor é fruto da oração.
A oração enche o orante de audácia e coragem, de força e tenacidade, de luz e compaixão. Jesus não somente reza, mas, ensina a rezar, principalmente a perseverança na oração. Os primeiros cristãos eram “assíduos na oração” (At 2, 42). De fato, a oração é inspiração de cada momento, recolhimento do coração, recordação das maravilhas de Deus, é força para a luta cotidiana. Eis a arte da oração.

EXERCÍCIOS

1-) Procure em sua Bíblia, a partir do texto do evangelho de São Mateus, alguns dos momentos em que Jesus orou.


2-) Reescreva uma dessas passagens, aquela que você mais gostou:
..........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

3-) Escreva uma oração pessoal, agradecendo ou pedindo algo a Jesus:
..........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................








18º ENCONTRO – São Benedito – Nosso Padroeiro

Benedito nasceu no ano de 1526, em São Filadelfo, nos arredores de Messina (Itália).
Era filho de escravos vindos da Etiópia. Foi libertado pelo Professor Manasseri, quando tinha 10 anos de idade. Era chamado de “O Mouro” por causa da sua cor negra.
Com 18 anos de idade, provia a si e aos pobres da redondeza. Com 21 anos foi levado ao Eremitério por Jerônimo Lanza, um jovem piedoso. Deus lhe concedeu o dom de operar milagres devido seu contínuo exercício de virtudes. O grande número de pessoas que o procuravam, fez com que os eremitas se mudassem para os rochedos do Monte Pelegrino. Com a morte de Jerônimo, os eremitas escolheram Benedito como superior. Nesses tempos, o Papa Pio IV tirou a autorização dada por Júlio III para o emitério, e os monges obedientes, tiveram que se separar.
Foi acolhido no Convento Santa Maria Mãe de Jesus dos Frades Franciscanos Menores da Observância, como simples leigo. Durante três anos esteve no Convento de Sant´Ana de Giuliana, após o que voltou a Santa Maria Mãe de Jesus. Em seu retorno assumiu como encarregado da cozinha, tendo Deus, realizado muitos milagres através de Benedito.
Em 1578, o Capítulo Geral da ordem o nomeou Guardião. Pediu para que o afastassem do cargo por não saber ler em escrever, mas seus superiores o mantiveram no cargo, que ele aceitou por irrestrita obediência.
Era sempre o primeiro no Coro, na visita aos enfermos e nos demais trabalhos. Respeitava a todos e tinha o respeito de todos. Manifestou o dom da Ciência infusa, acontecendo-lhe das respostas luminosas a Mestres em Teologia que o consultavam. Após o tempo de Guardião, retornou humildemente ao ofício de Cozinheiro, feliz por reencontrar a vida simples e obscura que tanto apreciava.
Caiu gravemente enfermo em 1589, falecendo docemente no dia 4 de abril, após receber os últimos sacramentos. Sua festa é comemorada pela Igreja no dia 05 de outubro, sendo que algumas dioceses ou paróquias celebram em outras datas, como por exemplo: janeiro, abril. Na nossa Paróquia já foi celebrado em 07 de setembro, janeiro e julho.



ORAÇÃO A SÃO BENEDITO

São Benedito, filho de escravos, que encontrastes a verdadeira liberdade servindo a Deus e aos irmãos, independente de raça e de cor, livrai-me de toda a escravidão, venha ela dos homens ou dos vícios, e ajudai-me a desalojar de meu coração toda a segregação racial e reconhecer todos os homens por meus irmãos.
São Benedito, amigo de Deus e dos homens, concedei-me a graça que vos peço de coração (pedido).
Por Jesus Cristo, Nosso Senhor, Amém.








19º ENCONTRO – Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil


Celebramos em 12 de Outubro a festa da rainha e padroeira Nossa Senhora Aparecida. É uma devoção que se enraizou na alma e na vida do povo brasileiro . Numa cidade do Vale do Paraiba, chamada Aparecida encontra-se o Santuário Nacional. A cidade já foi chamada também de Aparecida do Norte.

Como em Aparecida, Maria é louvada em muitas cidades do mundo com os mais diferentes títulos, por ex: em Salto, Nossa Senhora do Monte Serrat, em Porto Feliz, Nossa Senhora Mãe dos Homens, em Itu Nossa Senhora da Candelária, e assim por diante.

Em Fátima apareceu para 3 crianças pastoras. Algo em comum entre estas aparições revelam Maria para humildes e pequenos.
No Brasil Maria apareceu na forma de uma pequenina imagem e novamente se revelando aos pobres. Em Outubro de 1717 nas águas do rio Paraiba, ela se revelou a 3 pescadores. Eles lançaram a rede e pescaram um corpo de Santa sem a cabeça. Depois lançaram a rede novamente e pescaram a cabeça da imagem. A partir dai a imagem de Nossa Senhora é acolhida com amor na humildade do lar de um dos pescadores e se tornou ponto de encontro de orações.

A pequena imagem encontra-se hoje com coroa e manto de rainha no Santuário Nacional. Diante dela, pagando e agradecendo promessas, desfilam milhões de fiéis e devotos de Nossa Senhora Aparecida.



Exercícios

1-) Responda:

a) Onde foi encontrada a imagem de Nossa Senhora Aparecida?
...............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

b) Quem encontrou a imagem?
...............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

c) Cite 3 títulos de Nossa Senhora que você conhece:
....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................












20º ENCONTRO – A anunciação do Anjo – A oração da Ave Maria

Lc 1, 26 – 38

Maria era filha de Joaquim e de Ana. O anjo Gabriel, enviado de Deus, anunciou a Maria que ela seria a mãe de Jesus. Mesmo sendo noiva de José, ela não vacilou em dizer SIM a Deus. Maria bem soube que fazendo a vontade de Deus estaria dizendo sim aos seus irmãos.
Maria é a mãe de Jesus, mãe da Igreja e nossa mãe. Ela é intercessora junto ao seu filho Jesus e junto ao Pai.
Maria foi uma mulher que se colocou a disposição, a serviço. Visitou a sua prima Izabel que estava grávida. Trabalhou e viveu dando vida aos seus. Maria é o modelo da Igreja devendo ser imitada em todas as suas ações.
Maria recebeu vários nomes e títulos: Nossa Senhora do Monte Serrat, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora de Guadalupe, Nossa Senhora de Fátima, etc.
Maria deu Seu colo, deu o Seu seio a Seu Filho. Maria Se dá no seio da Igreja e quer que façamos o mesmo. Maria não é apenas Aquela que costumamos caracteriza-la nas imagens. Ela se identifica com cada povo. É aquela escolhida por cada raça, por cada um de nós. Nos demonstra coragem e garra. Maria luta, pois se reconhece cheia de graça e, com isso mulher de “raça”, para enfrentar os desafios.
Com força, Maria se coloca à caminho como tantas mulheres e tantos homens de hoje. Maria, mulher de fé e em pé!!!


Exercícios

1-) Complete:
a) Maria era filha de .................... e ...............Ela é a ................ de Jesus.
b) Quando o .................. enviado por Deus falou com............., ela disse ........................ Ela sabia que quem diz ................. para Deus deve dizer .................... para os irmãos.
c) Maria é a ............... de Deus, a mãe da Igreja.


2) Leia na Bíblia o primeiro milagre de Jesus em Jo 2, 1-12 e pense no que Maria pediu aos empregados da festa de casamento. Escreva a frase abaixo e responda:
a) Maria ficou preocupada porque acabou o vinho. Com o que Maria se preocuparia hoje?
.........................................................................................................................................................................................................................................................................
b) O que você acha que Jesus diria para você fazer? (em casa, na escola, com os amigos...)
..............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

3) Maria colaborou muito para que Jesus pudesse cumprir sua missão. Com carinho, olhe o Seu exemplo e diga como você também pode colaborar com Jesus?
...............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................






21º ENCONTRO – O Nascimento de Jesus Cristo – A Encarnação

Lc 2, 1-20

Quando Jesus nasceu, Augusto era o imperador. O povo sofria com a fome, miséria, altos impostos e doenças. Nessa época era Herodes, o supervisor. Jesus nasceu em Belém no dia 25 de dezembro, em uma manjedoura. Nasceu para nos salvar. O Natal é o aniversário de Jesus. Os primeiros que souberam do seu nascimento foram os pastores, humildes e disponíveis. Jesus viveu como uma criança qualquer: brincou, estudou, trabalhou e ajudou seus pais e muitas pessoas.
- Jesus significa “Deus salva”;
- Cristo significa “Senhor”;
- Messias significa “Ungido por Deus”.
Os Reis magos eram: Gaspar, Baltazar e Melchior. Eles levaram presentes a Jesus:
Ouro (realeza), Incenso (divindade, louvor), Mirra (Paixão, sacrifício)
O Natal é o aniversário de Jesus.

Significados de alguns símbolos:
- Árvore: símbolo da vida; com a árvore manifestamos nossas alegrias e nossa esperança em Jesus Cristo, sobretudo em Sua Vida e em Sua vinda.
- Presépio: cena do nascimento de Jesus: fé, docilidade, simplicidade, humildade.
- Sinos: sinal de alegria, mensagem, felicidade por Jesus Cristo ter nascido.
- Bolas: frutos das árvores, os dons maravilhosos que o nascimento de Jesus nos trouxe, nossas boas ações.
- Velas: presença do Cristo como luz do mundo, quando acendemos velas no Natal, expressamos nossa fé em Jesus e queremos dizer que também queremos ser luz para os nossos irmãos. Por isso os símbolos podem e devem ser atualizados conforme as nossas realidades.
Jesus Cristo é o verdadeiro Deus e Senhor, “nosso irmão”; Nosso único Mediador com Deus. A Encarnação é, portanto o mistério admirável da união da natureza divina e natureza humana na pessoa de Jesus Cristo.

Exercícios

1) Onde e quando nasceu Jesus Cristo?
..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
2) Quem é Jesus Cristo e qual é o sentido do seu nascimento para nossas vidas?
..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................3) Procure os nomes dos três reis magos no caça–palavras:

O N H G A S P A R N D K I E T L
V O L A P O U L M E L C H I O R
E M E S M O S E M T E V E R A I
B A L T A Z A R Ç Ã O D A N A B
F O M E O D L A V I N D E U S C

4) Desenhe a cena do nascimento de Jesus. Leia Lc 2, 11 – 20.








22º ENCONTRO – Povo Santo de Deus e Comunidade

Fl 2, 1 -11

A igreja é um povo, o povo de Deus. No nosso