PASTORAL FÉ E POLÍTICA

• Em reunião realizada no dia 19 de maio de 2000, foi instalado em Salto o Comitê da Lei 9.840, para conscientizar a população e os candidatos sobre a compra de votos e a corrupção eleitoral. Fizeram parte as seguintes pessoas: Diácono José Carlos Pascoal, Coordenador; Dr. Caramuru Afonso Francisco, Juiz de Direito; Dr. Manuel Pedro Gomes de Ávila, advogado; Dr. Paulo Miranda de Campos Filho, advogado; Pastor Antonio Benedito da Silva Filho, da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Secretário; Dr. Inácio Venâncio Filho, advogado; Bruno Martins Baldi, estudante de Direito; Tiago Rodrigues Renzo, estudante de Direito; Denise Rocha, radialista; Dimas Siqueira Silva, industriário; Gilberto Rômoli, empresário.
• O Comitê teve atuação fundamental durante a campanha eleitoral para as eleições municipais em Salto, fazendo inúmeras denúncias, muitas delas acatadas pela Justiça Eleitoral. Convém frisar que a Justiça Eleitoral em Salto sempre se posicionou contrária ao Comitê, mas nunca deixou de receber e verificar as denúncias apresentadas. A atuação do Comitê foi elogiada por Francisco Whitaker Ferreira, da Comissão Brasileira Justiça e Paz e grande batalhador pela aprovação da Lei 9840. Também é citada no excelente livro do Dr. Caramuru Afonso Francisco “Dos abusos nas eleições”, Ed. Juarez de Oliveira, 2002.

• Por iniciativa da Pastoral da Comunicação Social da Paróquia São Benedito e total apoio do Pároco Padre João Estevão da Silva, foi realizado Debate Público entre os candidatos a Prefeito Municipal de Salto, para as eleições de 2000. Esse trabalho foi depois feito em parceria com a Pastoral Fé e Política para realização de debates entre candidatos a Deputado Estadual e Deputado Federal (2002), e para as eleições municipais de 2004.

• Em fevereiro de 2001 foi criada a Pastoral Fé e Política, para dar seguimento ao trabalho do Comitê e para iniciar a fiscalização do trabalho dos vereadores e do Prefeito Municipal. A Pastoral, contando com agentes das Paróquias São Benedito, Nossa Senhora Aparecida, Cristo Rei e Nossa Senhora do Monte Serrat, teve vida razoavelmente ativa, com reuniões a cada dois meses, até maio de 2002, quando foi desativada por falta de agentes (foram deixando a Pastoral por motivos diversos).

• Em agosto de 2002 foi reativada a Pastoral, sendo designado Assessor o Padre Paulo André L. Labrosse, da Paróquia Nossa Senhora do Monte Serrat e, contando com o decisivo apoio dos demais párocos, recebeu um bom número de agentes. Claudinho Nascimento, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, foi eleito Coordenador Regional.

• Da Paróquia São Benedito faziam parte: Marcio Mendes da Silva, Hélio Steffen Filho, Moacir Ferro e Valter Berlofa Lucas.

• Wellington Gessoli é atualmente o representante da Paróquia São Benedito no quadro da Pastoral Fé e Política.

Linha de ação da Pastoral Fé e Política:
• Todas as semanas, acompanhamento dos trabalhos na Câmara Municipal.
• Semanalmente os párocos e as secretarias paroquiais recebem opiniões e relatórios dos agentes da Pastoral.
• Fiscalizar o Executivo e o Legislativo, denunciando qualquer tipo de corrupção, ou de clientelismo.
• Por sugestão e iniciativa da Pastoral da Comunicação Social e da Pastoral da Mãe Peregrina, ambas da Paróquia São Benedito, foram criadas Mesas-redondas para refletir as Campanhas da Fraternidade. Esse trabalho foi imediatamente compartilhado com a Pastoral Fé e Política.
• Acompanhamento do trabalho das Secretarias Municipais da Saúde, do Esporte e da Cultura e Turismo, como propôs a Campanha da Fraternidade de 2003, com relação aos idosos.
• Os agentes divulgaram os compromissos por eles firmados nas mesas redondas organizadas pela equipe da CF 2003.
• Feito levantamento das prioridades sociais do Executivo, através de uma audiência com o prefeito Municipal Pilzio Nunciatto Di Lelli.
• Estudo de projetos de Lei.
• Em 2003 a Pastoral Fé e Política colaborou para a implantação da "Política Municipal do Idoso" e criação do Conselho Municipal do Idoso.
• Participação na implantação do Programa "Fome Zero", do Governo Federal em nossa cidade.
• Passou a se preocupar com a formação e conscientização de católicos que desejam se candidatar a cargos públicos.
• Tem como meta evangelizar os poderes públicos da cidade.
• Instruir a sociedade católica sobre a Doutrina Social da Igreja.
• Distribuir em todas as Comunidades as matérias e relatórios do trabalho da Pastoral.
• É importante frisar que desde a sua criação, a Pastoral está "incomodando" alguns vereadores que não gostam de serem fiscalizados. Isso é altamente positivo para que a população conheça melhor seus representantes.
• Por várias vezes e por diversas razões os representantes da Pastoral Fé e Política fizeram uso da Tribuna Livre da Câmara Municipal para formalizar opiniões e sugestões aos nobres vereadores.
• A Pastoral reúne católicos representantes das cinco paróquias da cidade, que têm como objetivo maior a conscientização política. Seus dirigentes afirmam que o trabalho da Pastoral resgata a presença da igreja na política: "Jesus Cristo foi o primeiro, Jesus Cristo também fez política, principalmente em favor dos judeus, seu povo, e dos que vivem uma vida indigna".

Coordenador: Wellington Gessoli