PASTORAL DA MORADIA

• 1994: a Pastoral da Saúde socorre uma família composta de mãe e 07 filhos, desnutridos, com casos de tuberculose e extrema pobreza. A Pastoral, com doações e atuações de voluntários, constrói uma pequena moradia para a família.
• Final de 1994: Antonio Tarciso Benvenutto e Célia Regina Mosca Bergantin, coordenadores da Pastoral da Saúde, juntamente com Eda Disnam e Maria de Lourdes Peres Martoni, decidem criar um núcleo para atendimento de necessidades de moradia, higiene e infra-estrutura de moradia. Marli Bergantin assume a coordenação desse núcleo, embrião da Pastoral da Moradia.
• Páscoa de 1995: criada a Pastoral da Moradia oficialmente, passando a tomar atitudes para o "desfavelamento" da cidade, a reconstrução de moradias paupérrimas e outras formas de auxílio.
• 1997: A Pastoral da Moradia passa a atuar de maneira mais direta com o Poder Público Municipal, integrando o Conselho Habitacional do Município e auxiliando a Cooperativa Habitacional, criada para dar sustentação ao trabalho de arrecadação de material de construção doado e para o mutirão de construção. A Prefeitura Municipal passou a ceder lotes no Jardim Cidade III, onde os favelados inscritos trabalharam em mutirão para a construção das casas.
• Mais de 70 casas já foram construídas ou reformadas graças a esse trabalho. Mas o projeto de "desfavelamento" ficou mais lento porque a nova Administração Municipal (2001-2004) não designou Secretário para a Habitação e por carência de verbas não estava conseguido ampliar o atendimento.
• A Administração Municipal atual (eleita em 2004 e re-eleita em 2008) ampliou a parceria com a Pastoral da Moradia e com a Cooperativa Habitacional para que acontecesse o desfavelamento. Também participou da parceria a Caixa Econômica Federal.
• Em 2008 a Pastoral da Moradia passou a ser uma pastoral da Região 08 de Pastoral, atuando em parceria com a Cáritas Inter-paroquial de Salto.

Coordenador: Diácono José Carlos Pascoal