Desfavelamento do Jardim Maria José - Pastoral da Moradia

CENTRO UNIVERSITÁRIO NOSSA SENHORA DO PATROCÍNIO – CEUNSP

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E DESIGN- INSEAD

CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

PROJETO DE DESFAVELAMENTO E RECUPERAÇÃO DA ÁREA NA FAVELA DO TINO – JARDIM MARIA JOSÉ EM SALTO-SP

TEMA: Recuperação de área degradada por instalação de núcleo urbano (favela)

Moacir Ferreira Ferro, RGM: 074064 / Carlos A. Faustino, RGM: 075544.

Estância Turística de Salto, 2011.

SUMÁRIO

Histórico ......................................................…........................................1

Introdução ….............................................................................................2

Objetivos …...............................................................................................3

Objetivo Geral ...........................................................................................3

Objetivo Específico ...................................................................................3

Público Alvo...............................................................................................4

Metas.........................................................................................................5

Metodologia...............................................................................................6

Avaliação................................................................................................ .7

Conclusão................................................................................................. 8

Referências …..........................................................................................9

1- HISTÓRICO

Em uma área verde da Cidade na década de 1980 no bairro “Jardim Maria José” surgiu uma ocupação irregular e formou-se um núcleo habitacional do tipo favela, batizada com o nome de “Favela do Tino”. Com esta iniciativa de ocupação começaram a surgir os problemas de infra-estrutura, a falta de segurança e o desmatamento começou a ser feito de maneira indiscriminada, causando um grande impacto ambiental e consequentemente um grande dano ao meio ambiente local. A degradação da área e os problemas peculiares deste tipo de ação começaram a surgir. Com a iniciativa inédita no Brasil, a Pastoral da Moradia, ligada a Igreja Católica, em parceria com o poder público local iniciou o estudo de um projeto para a retirada daquelas pessoas. Foram muitas discussões em torno do assunto. Começou-se um trabalho, onde a Prefeitura fazia a doação dos terrenos, viabilizava o financiamento de parte do material, pois a Pastoral através de um programa de divulgação fazia a arrecadação de muito material de construção junto a população da Cidade. As construções eram feitas em sistema de mutirões entre os moradores favelados e a comunidade que se oferecia para prestar serviços comunitários doando mão de obra especializada, como pedreiros, marceneiros, encanadores, eletricistas, engenheiros e arquitetos e outros profissionais. Este trabalho era feito sempre aos finais de semana. Finalmente no Ano de 2010 foi concluído todo trabalho de desfavelamento do local. Com a área totalmente desocupada iniciaram-se os trabalhos de recuperação da área degradada, comandada pela Secretaria de Obras da Cidade, cujos trabalhos são acompanhados sistematicamente pelo Secretário Sr. Alaor Ourique de Carvalho. A área total a ser recuperada será de 15 mil metros quadrados e será transformada em um centro de laser. Em visita ao local, constata-se que se trata de uma área nobre e deverá ser protegida por se tratar de área verde, (APP).

2 - INTRODUÇÃO
Este trabalho abordará a situação de uma área verde localizada na periferia da Cidade de Salto, cuja invasão irregular para ser transformada em um núcleo habitacional popular denominado “Favela”, que causou grandes danos ao meio ambiente e consequentemente atingiu toda população vizinha, transformando o bem estar das pessoas e trazendo a tona a discussão do desenvolvimento urbano sem a infra-estrutura necessária, comprometendo e crescimento sem sustentabilidade. Com a iniciativa inédita no Brasil, a Pastoral da Moradia ligada a igreja católica, da Cidade Salto pertencente a Diocese de Jundiaí em parceria com o poder público local iniciou um projeto de desfavelamento, cuja área a ser recuperada mede 15.000 m² e será transformada em um centro de lazer , para a população da Cidade. As famílias retiradas desta área foram residir em casas construídas em sistema de mutirão pelos próprios moradores em parceria com o poder público e a comunidade local.

3 - OBJETIVOS
O objetivo do trabalho será a discussão do assunto de áreas urbanas degradas em função de construções e ocupações feitas de maneiras desordenadas.

3.1 - Objetivo Geral
O objetivo geral será o enfoque dos problemas causados por ocupação irregular de áreas consideradas úteis para a convivência e harmonia das pessoas e equilíbrio do meio em que se vive.

3.2 - Objetivo Específico
Os objetivos específicos serão:
- Recuperar uma área degradada e ocupada irregularmente por um núcleo habitacional, denominado “Favela”;
- Melhorar as condições de vida das pessoas ali residentes;
- Proporcionar maior segurança e bem estar aos moradores circunvizinhos.

4 - JUSTIFICATIVA
Após análise de situação dos moradores da favela, os quais viviam em condições subumanas, a Pastoral da Moradia constatou que a população precisava melhorar aquela situação e resolveu iniciar um trabalho de humanização que consistia em fazer a retirada dos moradores da área, remanejando-os para um local melhor apropriada para uma moradia mais digna, com condições de higiene e segurança e proporcionando aos seus familiares uma convivência social mais harmoniosa e saudável. Trata-se de uma área verde, cuja finalidade será manter o equilíbrio harmonioso entre as espécies e faz parte da área de proteção para manter o mínimo de qualidade de vida para o ser humano de forma que o crescimento urbano sustentável não seja comprometido por ações irresponsáveis e sem o planejamento adequado para o bem estar de sua população.

5 - PÚBLICO ALVO
As pessoas afetadas pela degradação desta área e que serão beneficiadas por sua revitalização, serão os moradores de áreas circunvizinhas, os moradores da própria favela, que serão removidos para moradias dignas com infra-estrutura necessária com mais dignidade e consequentemente a comunidade em geral da Cidade que receberá uma nova opção de lazer e bem estar.

6 - METAS
Através de um projeto paisagístico, no local onde funcionava a favela ora desativada, está sendo implantado um centro de Lazer, o qual irá proporcionar diversão aos moradores da região. O Prazo para a conclusão das obras será de aproximadamente 6 meses e será entregue a população no próximo no mês de outubro p.v. segundo cronograma de obras da Secretaria de Obras de Salto. Esta obra está sendo realizada com recursos próprios da Prefeitura. Serão cerca de 15000 m² na antiga área onde existia a favela do Maria José, e o local contará com: playground, paisagismo, iluminação, lixeira, bancos, pista para caminhada e os equipamentos de ginástica. (Fonte: www.salto.sp.gov.br, acessado em 08/09/2011)

7 - METODOLOGIA
Está sendo executado o trabalho de limpeza da área, conservando-se os arbustos nativos ali existentes e sendo feito o plantio de grama no entorno do barranco de toda área degradada, conforme informações da Secretaria de Obras do Município de Salto e vistoria feita no local. (Fonte: www.salto.sp.gov.br , acessado em 08/09/2011)

8 - AVALIAÇÃO
Com a desativação da antiga favela e a revitalização da área, o local está se tornando um ponto de referência e proporcionando um visual mais agradável para quem o visita. Espera-se que esta iniciativa sirva de modelo para outras Cidades que tenham um problema semelhante ao da Cidade de Salto.

9 - CONCLUSÃO
De acordo com o trabalho apresentado de recuperação, da área degradada e com o projeto transformando esta área em um centro de lazer para o convívio social, percebe-se a importância do envolvimento da comunidade nas questões de relevância como o desfavelamento e a inserção no convívio social das pessoas marginalizadas pela sociedade. Este trabalho chama atenção também pelo modo simplístico, mas eficiente como foi realizado, dando uma dinâmica e apontando soluções para os problemas sociais do dia a dia da sociedade nos núcleos urbanos. Outro fator que deve ser observado do ponto de vista negativo é a transformação ambiental que o local sofreu após a criação do núcleo habitacional. O fator positivo que dever ser destacado é com referência a recuperação da área degradada e consequentemente sua reintegração ao visual paisagístico do meio ambiente da Cidade.

10 - REFERÊNCIAS
* Disponível em:www.salto.sp.gov.br, acessado em 08/09/2011
* Secretaria de Obras e Saneamento Básico da estância Turística de Salto/SP
* Pesquisa de campo em 08/09/2011