Sal da terra e luz do mundo

Padre José Luiz Nascibem

A Igreja do Brasil irá celebrar no período de 28 de novembro de 2017 a 25 de novembro de 2018 o Ano do Laicato. O tema deste período para animar a mística é: “Cristãos leigos e leigas sujeitos na Igreja em saída a serviço do Reino” e o lema “Sal da Terra e Luz do Mundo”.

O ano do laicato tem como objetivo celebrar a presença dos cristãos leigos do Brasil na sociedade e sua missão de testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade.

Fruto deste trabalho a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) lançou do documento 105 onde retoma e aprofunda a participação de todos na Igreja e na sociedade. Os cristãos leigos são chamados a serem ativos (sujeitos) a partir da consciência batismal para atuar na Igreja e na sociedade.

Sal da Terra e luz do mundo (Mt 5,13-14), assim Jesus definiu a missão que aos seus discípulos missionários confiou. As imagens do sal e da luz são particularmente significativas se aplicadas aos cristãos leigos. Nem o sal, nem a luz, nem a Igreja e nenhum cristão vivem para si mesmos...O campo de ação dos cristãos é o mundo.

O que significa ser sal? Dizer que os discípulos são “o sal” significa que os discípulos são chamados a trazer ao mundo essa “qualquer coisa mais” que o mundo não tem e que dá sabor à vida dos homens; significa também que da fidelidade dos discípulos ao programa enunciado por Jesus depende a perenidade da aliança entre Deus e os homens e a permanência do projeto salvador e libertador de Deus no mundo e na história.

Tal documento da Igreja quer ressaltar a vocação dos leigos e nos convida a superar muitas tentações como nos lembra o papa Francisco: pessimismo estéril; acomodação; isolamento; falta de valorização dos leigos; falta de valorização da mulher; falta de valorização dos jovens e idosos.

O documento 105 da CNBB ao final lembra onde os cristãos leigos devem hoje no mundo fazer com que Jesus se torne conhecido:

Família – mundo da política – políticas públicas – trabalho – cultura e educação – comunicação – casa comum (meio ambiente). Em todos estes ambientes cabe ao cristão leigos testemunhar a Palavra de Deus.

O Papa Francisco nos lembra que “o Concílio não olha os leigos como se fossem membros de segunda categoria, a serviço da hierarquia e simples executores de ordens provenientes do alto, mas como discípulos de Cristo que, através do Batismo e sua inserção no mundo, são chamados a animar todo ambiente, atividade e relação humana segundo o espírito do Evangelho (…) Ninguém melhor que os leigos pode desempenhar a tarefa essencial de inscrever a lei divina na vida da cidade terrena. ”

Que ao longo do ano do laicato possamos testemunhar para transformar nossa fé em Jesus Cristo.

* Padre José Luiz é Vigário Paroquial da paróquia São Benedito de Salto, SP, diocese de Jundiaí, SP.